Lipoaspiração é um procedimento perigoso?

Um dos procedimentos mais realizados no Brasil, a lipoaspiração é a cirurgia plástica indicada para retirar o excesso de gordura localizada em uma determinada área do corpo. Normalmente, em abdômen, flancos, coxas, costas ou braços. Assim, ajuda a melhorar o contorno corporal.

O procedimento estético pode ser feito tanto em mulheres quanto homens, e é importante ter o suporte de um cirurgião plástico de confiança sob condições adequadas de segurança e higiene.

Como a lipoaspiração é feita?

À medida em que a anestesia faz efeito, que pode ser geral ou sedação intravenosa, é feita a delimitação da área de onde será retirado o excesso de gordura. Em seguida, são feitos pequenos furos para a introdução de um líquido estéril, a fim de diminuir o sangramento, e de um tubo fino que irá soltar a gordura da região. Então, ela é aspirada através de um dispositivo acoplado ao tubo.

Possíveis riscos

Assim como qualquer procedimento cirúrgico, a lipoaspiração também apresenta alguns riscos. As complicações acontecem raramente e podem ser evitadas quando a cirurgia é feita em uma clínica de confiança e com um profissional experiente.

Conheça alguns dos problemas que podem surgir:

  • Hematomas: é comum o surgimento de manchas roxas no local da cirurgia durante a recuperação. Não é um problema grave, mas sim uma resposta natural do corpo em relação às lesões provocadas pela lipo nas células de gordura. Na maioria dos casos, os hematomas começam a desaparecer naturalmente após uma semana;
  • Seroma: consiste no acúmulo de líquidos debaixo da pele, principalmente nos locais em que a gordura foi retirada. Quando isso ocorre, o paciente pode apresentar inchaço e dor. Para evitar, é indicado usar cinta compressora, fazer sessões de drenagem linfática e realizar atividades físicas;
  • Flacidez: quando é removida uma grande quantidade de gordura de uma parte do corpo, a pele que estava muito esticada fica mais flácida após a lipoaspiração. Por isso, pode ser necessária outra cirurgia para retirar o excesso de pele ou tratamentos menos invasivos que deixam a pele mais tonificada;
  • Alteração da sensibilidade: embora não ocorra com frequência, o formigamento na pele pode indicar alteração da sensibilidade causada por lesões nos nervos da região operada. Em geral, não é necessário um tratamento específico já que o corpo regenera naturalmente os nervos;
  • Infecção: é um risco comum a todas as cirurgias, pois, uma vez que se faz um corte na pele, existe uma nova entrada para vírus e bactérias. Quando isso ocorre, o paciente pode apresentar sintomas no local da cicatriz, como inchaço, vermelhidão intensa, dor, cheiro fétido e pus. O uso de antibióticos receitados pelo médico e cuidados adequados com a cicatriz podem evitar o problema;
  • Trombose: acontece quando o paciente fica muitos dias deitado sem fazer pequenas caminhadas. Sem o movimento do corpo, o sangue tem tendência maior a se acumular nas pernas, facilitando a formação de coágulos que podem entupir as veias e causar trombose venosa profunda. Caso os sintomas surjam, é importante ir imediatamente ao pronto-socorro para iniciar o tratamento e evitar complicações mais graves;
  • Perfuração de órgãos: é a complicação mais grave da lipo, mas é bastante rara. Ocorre, principalmente, quando a cirurgia é realizada em locais inadequados e com profissionais sem experiência e certificação. Quando isso acontece, existe um grande risco de morte, pois pode resultar em uma infecção grave.

Essas possíveis complicações podem assustar, mas a lipoaspiração não é um procedimento perigoso se realizada de forma segura. Procure médicos e clínicas qualificadas para garantir sua saúde.



WhatsApp chat